“O Augustinianum foi fundado para preservar e transmitir a riqueza da tradição católica”

O Institutum Patristicum Augustinianum Roma esta semana celebrou o seu 50º aniversário com vários eventos, incluindo uma audiência com o Papa Francisco na qual recordou a riqueza da escola de Santo Agostinho e a instituição agostiniana

O Institutum Patristicum Augustinianum foi fundado em 14 de fevereiro de 1969. A Congregação para a Educação Católica confirmou seu nascimento com um decreto em 17 de fevereiro do mesmo ano. Um ano depois, em 4 de maio de 1970, o Papa Paulo VI assistiu pessoalmente à solene inauguração do Instituto. Desde então, o Institutum Patristicum Augustinianum tem se dedicado ao estudo e pesquisa dos Padres da Igreja, particularmente Santo Agostinho, treinando centenas de estudantes, incluindo os agostinianos recoletos.

O meio século do Instituto foi celebrado com uma missa solene em 12 de fevereiro na maior Patristicum auditório, que foi presidida pelo Prior Geral da Ordem de Santo Agostinho, Alejandro Moral, que estava acompanhado pelo actual Director Instituto, Guiseppe Caruso, e o cardeal Agustino Prosper Grech, fundador do Instituto e seu primeiro diretor. Na missa participaram não somente os professores leigos do Instituto, mas também os professores e religiosos e sacerdotes, de tal maneira que 130 sacerdotes se juntaram aos principais celebrantes.

No entanto, um dos principais eventos da celebração dos 50 anos do Instituto foi a audiência privada com o Papa Francisco no sábado, 16 de fevereiro. Às 12h00, o Papa Francisco fez sua entrada na sala Clementina, em meio ao aplauso e emoção de todos os presentes. Uma vez que o Papa Francis estava sentado em seu escritório, o Prior Geral da Ordem de Santo Agostinho, Alejandro del Moral tomou a palavra para agradecer ao Papa Francisco graciosamente receber professores e estudantes Patristicum o 50º aniversário do Instituto.

Mais tarde, o Papa se dirigiu à assembléia de reconhecer o trabalho do Instituto Patrístico, enfatizando a importância do trabalho realizado por seus professores, e para isso ele mencionou, deixando o texto em suas mãos, Mary Grazia Mara, que foi professora de Patristicum por muitos anos, e que aos 95 anos continua a escrever e catequizar os filhos de sua paróquia. Finalmente, o Papa Francisco deu a todos a sua Bênção Apostólica, e os professores e alunos Patristicum que estavam presentes na sala Clementina tiveram a oportunidade de saudar pessoalmente o Papa Francisco. Neste encontro com o Papa Francisco havia três recoleta: Enrique A. Eguiarte, professor Patristicum, e Bruno D’Andrea e John Eder Delgado, estudantes do mesmo.

Discurso do Papa Francisco aos professores e alunos do Instituto Patrístico Agustinianum

Caros irmãos e irmãs:

Estou feliz em recebê-lo por ocasião do 50º aniversário da fundação do Instituto Patrístico Augustinianum. Agradeço ao Padre Alejandro Moral Antón, Prior Geral dos Agostinianos e moderador geral do Instituto; Saúdo o presidente, padre Giuseppe Caruso, os conselheiros, os colaboradores, os membros do corpo docente, os administradores e os estudantes. De modo especial, saúdo um dos seus irmãos agostinianos, um dos fundadores do Instituto, o cardeal Prospero Grech. E também gostaria de cumprimentar tantos professores eméritos, que não estão aqui, mas que deixaram sua marca no Instituto. E lembro-me da professora Maria Grazia Mara que ensinou tantas coisas e que, aos 95 anos, continua a publicar e dar catequese a crianças. Também o cardeal Grech: suas homilias são muito simples … Os sábios, quando atingem essa idade, tornam-se uma grande simplicidade, o que faz muito bem. Obrigado a todos os idosos, aos professores aposentados. Estou muito feliz por ter a oportunidade de compartilhar este aniversário com você.

Em primeiro lugar, isso significa agradecer a Deus por tudo o que o Augustinianum tem feito há meio século. Mas o fato de hoje nos convida a voltar às origens de memória agradável, que recordou recentemente o pai Antes, quando, na área da secular tradição da Ordem de Santo Agostinho, nasceu em Roma, dedicado ao Studium ciências sagradas, especialmente os Padres da Igreja, Santo Agostinho e seu legado.

Como guardião da grande agostiniano, “escola” caracterizado pela busca da sabedoria, Augustinianum foi fundada para ajudar a preservar e transmitir a riqueza da tradição católica, especialmente a tradição dos Padres. Essa contribuição é essencial para a Igreja. Foi iempre, mas especialmente em nosso tempo, como disse Paulo VI no discurso do Instituto de abertura: “O retorno aos Padres da Igreja disse que parte do que de volta para as origens do cristianismo, sem a qual não seria possível realizar a renovação bíblica, a reforma litúrgica e a nova pesquisa teológica desejada pelo Vaticano II »(4 de maio de 1970). E João Paulo II, a visitar o Instituto em 1982, confirmou esta premissa dizendo, entre outras coisas, que “entrar em Parent escola significa aprender a conhecer melhor a Cristo e para conhecer melhor o homem” e que “esse conhecimento [ajuda ] à Igreja em grande medida na sua missão »(7 de maio de 1982).

Portanto, encorajo-o a ser fiel às suas raízes e à sua tarefa; perseverar no compromisso de comunicar os valores intelectuais, espirituais e morais que preparam seus alunos a participar com sabedoria e responsabilidade na vida da Igreja e nos debates sobre os desafios cruciais do nosso tempo. Este serviço está intimamente ligado à evangelização e ajuda a promover o crescimento da família humana para a sua plenitude definitiva em Deus (cf. Const. Ap. Veritatis gaudium, 1).

A recente Constituição Apostólica Gaudium Veritatis abre com estas palavras: “A alegria da verdade -Veritatis gaudium- manifesta o desejo de que deixa o coração humano inquieto até encontrar, habitar e compartilhar com toda a Luz de Deus” (n1 . O eco de Santo Agostinho é evidente aqui (Conf, X, 23:33; I, 1,1). Na verdade, ele conheceu e se expressa no mais alto grau a inquietação do coração humano até que ele encontra descanso em Deus, que em Jesus Cristo revela a verdade mais profunda sobre nossas vidas e sobre o nosso destino final.

Em conclusão, eu gostaria de compartilhar outra afirmação de Santo Agostinho retirado doutrina De Christian: “Aqueles que têm de dizer o que eles receberam de outros também oram antes de recebê-lo por aqueles que a recebem, a ser dado o que para eles eles desejam receber. E uma vez recebidos, rezem para que eles mesmos o pronunciem apropriadamente e aqueles que o dizem tomarão “(IV, 30, 63).

Queridos irmãos e irmãs, ao celebrarem este aniversário, tenham a certeza de minhas orações. Também exorto você a orar uns pelos outros – isso é importante em uma instituição, é necessário – que o Senhor os sustente em seu esforço diário de pesquisa, ensino e estudo. Com afecto vos encomendo e toda a Ordem de Santo Agostinho, a comunidade do Instituto e seus entes queridos à intercessão de Santo Agostinho e Santa Monica, e concedo de coração a todos a Bênção. E, por favor, não esqueça de orar por mim.

This post is also available in/Este conteúdo está disponível em Português: Español English

Suscríbete a nuestra

Newsletter