Os agostinianos recoletos, discípulos missionários hoje

A recente reunião do Secretariado Geral de Apostolado Missionário e Ministerial estabeleceu novas diretrizes para reforçar a ação pastoral nos ministérios e missões dos agostinianos recoletos, tornando-os verdadeiros “profetas do Reino”

O projeto de vida e missão dos agostinianos recoletos, elaborado em 2016 depois do Capítulo Geral, estabelece que os religiosos recoletos devem ser “discípulos missionários”, de acordo com o que indica o Papa Francisco. Para reforçar esta ideia, os membros do Secretariado Geral de Apostolado Missionário e Ministerial encontraram-se com os presidentes deste secretariado das províncias na Casa de Oração de Talavera, em Cebu (Filipinas).

Durante este encontro, que durou várias semanas e abordou diversos temas, foram apresentados a ideologia agostiniano-recoleta da pastoral pastoral e o documento de Orientações para o apostolado missionário agostiniano recoleto. Estes são os dois documentos sobre os quais o Secretariado Geral tem vindo a trabalhar nos últimos meses e que definem as orientações a seguir nos ministérios e missões. Os agostinianos recoletos, como a Igreja, devem estar em missão permanente, em saída, abertos à opção pelos pobres, à família, à vida e em favor da criação. Neste trabalho, é necessária uma missão partilhada, que em áreas como a educação é implantada, mas não ainda em ministérios paroquiais ou missionários.

Assuntos como a atualização de pastores e missionários ou a formação de leigos são assuntos importantes no Secretariado. Ser “profetas do reino” é outro objectivo. Isso se traduz em compromisso com o trabalho de solidariedade ou com o cuidado da casa comum. Por isso, os responsáveis pelo Apostolado Ministerial da Ordem dos Agostinianos Recoletos propuseram um guia para a ecologia das comunidades paroquiais, de acordo com a encíclica do Papa Francisco “Laudato Sí”.

Os religiosos agostinianos recoletos que participaram deste encontro estão previstos para 2019, contando com o Mês Missionário Extraordinário de outubro de 2019. Para este efeito, serão publicados materiais. Além disso, nos meses anteriores, pretende-se encorajar a oração pelos missionários nas comunidades. Em uma ação conjunta com a Rede Internacional de Solidariedade ARCORES, o Secretariado propõe promover nas paróquias o voluntariado em áreas de missão dos agostinianos recoletos.

Também participaram da reunião o Prior Geral, Miguel Miró, que agradeceu à Secretaria-Geral por seu trabalho e envolvimento. Miró insistiu na necessidade de ser criadores de comunhão na missão e nas paróquias. Para isso, é preciso pôr em

This post is also available in/Este conteúdo está disponível em Português: Español English

Suscríbete a nuestra

Newsletter