Nasceu em Údine em torno do ano de 1396 da família Valentini. Adolescente de boas qualidades e edificante espírito religioso, casou-se muito jovem com Antônio Cavalcanti, do qual teve três filhos e três filhas. Em setembro de 1441, seu, marido, desempenhando uma embaixada de sua cidade em Veneza, veio a falecer. Este fato levou-a a uma vida mais dedicada ainda ao Senhor. Entrou na Ordem, como agostiniana secular. Entregou-se às obras de misericórdia com sua ação e seus bens. Dedicava-se intensamente à oração, sobretudo na igreja agostiniana de Santa Luzia. Antes e depois da oração dedicava grande tempo à leitura.

O Evangelho era sua leitura preferida. Amava de coração a Ordem e professava uma obediência exemplar ao Padre Provincial e aos demais superiores. Suportou pacientemente uma dolorosa enfermidade nos três últimos anos de vida. Morreu a 23 de abril de 1458. O espírito de penitência, a humildade, a devoção à Paixão do Senhor, o amor à Eucaristia e o espírito de serviço ao próximo marcaram sua vida. Seus restos se conservam na catedral de Údine. Pio IX confirmou seu culto em 1848.