Deus fala na consciência dos bons e dos maus, porque aprovar o que é bem feito e criticar o que é mau, não é possível sem a voz daquela verdade que, no silêncio do coração, aprova ou condena.

Sermo 12, 4.