No homem carnal, a regra de entender é o costume de ver. Aquele que deseja ver, crê; o que não vê, não crê.

Sermo 242,1