Falece o padre Gabino Areitio, promotor da espiritualidade agostiniano-recoleta em Inglaterra.

Qualquer pessoa que se encontrasse com o padre Gabino se surpreendia ao ficar sabendo sua idade. Conservou a agilidade física e mental até os últimos meses de sua vida. Qual foi seu segredo? Segundo ele, trabalhar duro todos os dias.

Frei Gabino Areitio Bereincua nasceu dia 25 de outubro de 1915 em Durango (Vizcaya, Espanha). Aos doze anos entrou no Colégio de São José de Lodosa (Navarra). Depois estudou três anos de filosofia e ao terminar o enviaram a Roma para fazer teologia.

Em 1938 chegou às terras inglesas. Exatamente um ano depois de sua chegada, estourou a Segunda Guerra Mundial. No dia 26 de março de 1939 foi ordenado sacerdote em Paignton (Devon).

Fomento da devoção a Santa Rita

Ao final de 1950, Gabino veio a Honiton como prior. Ali, junto com o padre Ernest Fry, começou a divulgar a devoção a santa Rita por todo o país. Assim nasceu o Centro de Promoção Santa Rita. Compraram uma velha imprensa de segunda mão e a instalaram em um antigo estábulo que estava desabando. Dali, durante mais de 50 anos, desenvolveram a devoção à Santa de Cássia. Com o passar do tempo, os devotos chegaram a ser milhares e em diferentes países.

Gabino era um entusiasta admirador das novas tecnologias. O escritório esteve sempre atualizado. Primeiro foi uma máquina de escrever elétrica que, chegado o momento foi substituída por um processador de textos e depois por um computador Apple Mac que foi o primeiro computador comprado na casa de Santa Rita.

Nos anos 90, se levou a cabo também certa renovação montando a loja. Primeiro foi uma pequena, mas significativa seleção de estampas e publicações, a pedido dos benfeitores e dos fiéis da paróquia local, que queriam comprar seus cartões de missas, rosários, felicitações de Natal e de Páscoa. A princípio se instalou improvisadamente em um dos escritórios. Nos últimos anos teve que ser trasladada a um local novo, mais amplo. Já não se faziam trabalhos de imprensa, e as máquinas haviam sido desmontadas. A loja foi instalada no que havia sido o local da imprensa.

Foi um tempo emocionante. Iniciava-se algo novo. Também um período de grande ansiedade porque a loja tinha suas despesas e não havia entradas suficientes. No dia de Santa Rita e nos dias de retiro se levantava ali mesmo uma tenda, que se enchia de gente desejosa de comprar objetos religiosos. Eram também muitos os clientes que faziam seus pedidos por carta, aos quais se respondia também por via postal. O Centro publicava seu próprio catálogo anual, que era enviado aos endereços da base de dados. A loja se tornou solvente, e continua sendo.

Outro grande passo no fomento da devoção a santa Rita foi renovar o escritório. Até outubro de 2008 se estiveram usando as velhas caixas e arquivos descartados pelo exército. Então se decidiu remodelar completamente o escritório. Isto foi feito em dois meses, e às vésperas do Natal, um dos períodos de maior trabalho. Todo o equipamento foi transferido para a loja, enquanto se cumpriam os encargos natalinos, respondendo a mais de 1200 cartas. O novo escritório ficou pronto justo antes do Natal.

Dia de Santa Rita

Padre Gabino estabeleceu a devoção aos santos da Ordem por meio de novenas. Em Honiton se recebe uma média de 1200 cartas referentes a novenas; todas são respondidas individualmente, chegando a um total de cerca de 6.000 respostas ao ano.

Reserva-se uma devoção especial para a patrona da casa, santa Rita de Cássia, cuja festa, 22 de maio, é celebrada a cada ano com maior solenidade. Assim sucedeu, só para citar, em 2010, em que a celebração foi um sucesso total. Convidou-se, para presidir a eucaristia, o abade da vizinha abadia beneditina de Buckfast, David Charlesworth. O escritório de publicações assinou um acordo com alguns periódicos católicos, que enviaram ao Centro uns 300 exemplares gratuitos que foram distribuídos aos que compareceram à festa, e com isso se conseguiu que as vendas da loja ultrapassassem a 1200 libras esterlinas.