O OAR recusa a violência ea violência que está vivendo na Venezuela

Hoje, 5 de maio, o Prior Geral da Ordem dos Agostinianos Recoletos, escreveu uma carta a todas as comunidades da Ordem para expressar a rejeição da situação de opressão e violência que se vive atualmente na Venezuela. Isso mostra o apoio do OAR a todos os cidadãos venezuelanos e aos Agostinianos Recoletos presentes lá.

Miguel Miró recorda a confiança “na misericórdia do Senhor” e enfatiza que o OAR e todas as suas comunidades e irmãos se sentem “unidos a todos os que vêm encontrar e defender a vida, a liberdade, a dignidade humana ea democracia, ajudando a Coexistência cívica em paz e fraternidade “.

Por outro lado, ele encoraja os irmãos agostinianos recoletos da Venezuela a “viver com ousadia a missão profética de serem criadores de comunhão e acompanhar todos os que sofrem sem qualquer tipo de exclusão”, e pede que toda a família se recupere. Rezamos pessoalmente e em comunidade especialmente para a Venezuela: os agostinianos recoletos da vida contemplativa, as religiosas, as fraternidades leigos, as comunidades JAR e os fiéis de nossos ministérios.

[wpdm_package id=66569 template=”link-template-calltoaction3.php”]

[wpdm_package id=66647 template=”link-template-calltoaction3.php”]