Mensagem do Prior Geral para a festa da Recoleção Agostiniana

O Prior Geral, Miguel Miró, recorda em sua mensagem a origem da Recoleção Agostiniana e nos convida a abrir nossos corações a Cristo e a olhar o futuro com esperança.

UM CARISMA QUE IMPELE RELIGIOSOS E LEIGOS À COMUNHÃO

Hoje, no túmulo de São Pedro, celebramos junto com as fraternidades seculares agostiniano-recoletas os 431 anos da Recoleção. Queremos reafirmar a comunhão da Ordem com Pedro e seus sucessores. Hoje manifestamos a nossa fidelidade ao Papa Francisco e aos seus ensinamentos.

Recordemos que no dia 5 de dezembro de 1588, quando o Capítulo da Província agostiniana de Castela promulgou o ato fundador da Recoleção. As vogais do Capítulo não quiseram colocar obstáculos ao Espírito Santo e deram um canal para os desejos de uma vida mais evangélica que brotou nas comunidades. Celebramos com gratidão e esperança o 431º aniversário da Recoleção.

A Recoleção Agostiniana deu origem a esta família, convocada pelo Espírito e hoje estendida a 22 nações. Aquele capítulo de 1588 recolheu as preocupações de todos aqueles religiosos que, como indicam nossas Constituições, impulsionados por um carisma coletivo especial, quiseram viver com renovado fervor e novas normas a forma de vida consagrada que Santo Agostinho fundou na Igreja. A Forma de Vida exprime o desejo de santidade, de amar com maior dedicação e coerência, de intensificar a vida de oração e a vida fraterna das comunidades.

Recordando a origem e a história da Ordem, recordemos com gratidão as bênçãos do Senhor. Não permaneçamos nos acontecimentos humanos, admiremos a acção de Deus. Abramos os nossos corações a Cristo e ao seu Espírito; hoje ele continua a chamar-nos a responder como religiosos e leigos. Não resistimos à ação do Espírito Santo.

Que o Senhor nos infunda o seu Espírito para que possamos amar com fé, esperança e caridade renovadas e viver a alegria do Evangelho. Que os santos da Ordem nos acompanhem para sermos criadores de comunhão.

Miguel Miró OAR
Prior geral