“Todos os jovens JAR devem ser profetas”

O presidente da Secretaria Geral das Vocações e da Juventude nos convida a “ter um coração solidário” em uma saudação aos jovens por ocasião do 25º aniversário do JAR.

Milhares de jovens que vivem e compartilham o carisma agostiniano recoleto estão celebrando este ano o 25º aniversário das Juventudes Agostiniano-Recoletas (JAR). Por esta razão, o presidente da Secretaria Geral de Vocações e Juventude, Juan Pablo Martinez, enviou uma mensagem em vídeo aos membros do movimento juvenil, na qual agradece a Deus e aos jovens por tornar realidade um projeto que começou há mais de duas décadas.

Na mensagem, Martínez expressou um desejo: “Todos os jovens do JAR devem ser profetas”. O chefe do JAR a nível internacional lembrou ao Papa Francisco, que adverte que a pandemia mais forte é a da indiferença. Por esta razão, ele indicou que os jovens que vivem este carisma devem dar “uma resposta ao mundo a partir de nosso ser agostinianos recoletos”.

Ele também agradeceu as mais de 100 comunidades e 5.000 jovens que tornaram realidade o que era um sonho há 25 anos: “Compartilhar nosso carisma com os jovens”. Neste sentido, ele lamentou que a pandemia tenha manchado este aniversário. “Não pensamos que a celebração do 25º aniversário fosse assim”, diz ele. No entanto, ele afirmou que “a situação do mundo causada pela pandemia não silenciou o fogo do Espírito que nos faz vibrar”. Por esta razão, diante das muitas dúvidas que surgem no ser humano neste momento, ele afirmou que “a humanidade espera respostas de todos, e especialmente dos jovens”.

Neste sentido, ele encorajou os jovens a “viver estes dias de felicidade no Senhor, porque ele tem sido grande e bom para nós”. Juan Pablo Martínez pediu especialmente que este grande aniversário fosse celebrado em todos os países “com diferentes iniciativas que ajudarão a viver este evento com alegria”. “Que não seja em vão”, diz ele. E não apenas com eventos ou festas. O presidente da Secretaria Geral nos convidou “a ter um coração solidário, a ter iniciativas que nos convidem a pensar no outro”. É por isso que ele propôs realizar ações de solidariedade com os jovens e os mais desfavorecidos: “É uma forma de dizer ao mundo que estamos lá; de superar o egoísmo”.

Ele também agradeceu a Deus. “Hoje ele nos permite estarmos unidos apesar das diferenças, das distâncias, das línguas… unidos com uma só alma e um só coração voltado para Ele”, diz ele.

This post is also available in/Este conteúdo está disponível em Português: Español English