A encíclica Fratelli Tutti do Papa Francisco, em dez sentenças

Em Fratelli Tutti, o Papa Francisco envia uma mensagem positiva a toda a humanidade: somente através do amor fraterno avançaremos como sociedade em direção a um futuro sustentável e justo.

Fratelli Tutti é a terceira encíclica do Papa Francisco. Assinado no túmulo de São Francisco de Assis, o Santo Padre quer convidar a refletir sobre as diferentes realidades que a sociedade está enfrentando. No documento, o Pontífice trata de muitas injustiças que ainda estão presentes na sociedade: tráfico de pessoas, violação dos direitos humanos, consumismo excessivo, migração ou desigualdade de mulheres e homens, entre outros.

Por todas estas circunstâncias, o Papa Francisco propõe em Fratelli Tutti uma solução humana e necessária: o amor fraterno. Somente se a política e a sociedade, como agentes ativos, se envolverem para não deixar ninguém para trás, o mundo poderá avançar e construir um futuro que seja sustentável, seguro, justo e igual para todos.

Dez sentenças da encíclica Fratelli Tutti

“Partes da humanidade parecem sacrificáveis em benefício duma seleção que favorece a um setor humano digno de viver sem limites”. (FT 18)

“No mundo atual, esmorecem os sentimentos de pertença à mesma humanidade; e o sonho de construirmos juntos a justiça e a paz parece uma utopia doutros temposs”. (FT 30)

“A tribulação, a incerteza, o medo e a consciência dos próprios limites, que a pandemia despertou, fazem ressoar o apelo a repensar os nossos estilos de vida, as nossas relações, a organização das nossas sociedades e sobretudo o sentido da nossa existência.”. (FT 33)

“Hoje temos à nossa frente a grande ocasião de expressar o nosso ser irmãos, de ser outros bons samaritanos que tomam sobre si a dor dos fracassos, em vez de fomentar ódios e ressentimentos”. (FT 77)

“A partir da intimidade de cada coração, o amor cria vínculos e amplia a existência, quando arranca a pessoa de si mesma para o outro”. (FT 88)

“Todo o ser humano tem direito de viver com dignidade e desenvolver-se integralmente, e nenhum país lhe pode negar este direito fundamental”. (FT 107)

“É grande nobreza ser capaz de desencadear processos cujos frutos serão colhidos por outros, com a esperança colocada na força secreta do bem que se semeia”. (FT 196)

“Uma sociedade é nobre e respeitável, nomeadamente porque cultiva a busca da verdade e pelo seu apego às verdades fundamentais”. (FT 207)

“Mas amar um opressor não significa consentir que continue a ser tal; nem levá-lo a pensar que é aceitável o que faz”. (FT 241)

“Como cristãos, pedimos que, nos países onde somos minoria, nos seja garantida a liberdade, tal como nós a favorecemos para aqueles que não são cristãos onde eles são minoria”. (FT 279)