“Vidas normais” podem mudar mesmo no ônibus

Randy Josué Campos tinha uma vida que ele considerava normal, mas seu coração estava inquieto porque nada o satisfazia, até que finalmente encontrou a resposta para suas dúvidas.

Randy José pensou que viveria o que para ele era uma “vida normal”. Para ele e para muitas pessoas, normal era o que ele estava experimentando. Ele tinha uma namorada e estava indo para a faculdade que queria, na faculdade que queria. Seus sonhos estavam se tornando realidade: ele esperava ter uma família e seguir a carreira que sempre desejou. “Senti-me realizado com alguém ao meu lado”. Tudo estava bem, pelo menos assim parecia.

Randy Josué Campos nasceu em Alajuela, Costa Rica, em 1995. Ele cresceu ao lado da Paróquia de Nossa Senhora do Carmo que os agostinianos recoletos dirigem em sua cidade. Seus pais eram crentes e muito ativos na vida da igreja, portanto Randy conhece a fé e a igreja desde seus primeiros meses. “Na catequese de comunhão me senti muito chamado a permanecer na Igreja por um longo tempo”, recorda ele. E ele está a caminho disso: desde agosto de 2020 faz parte do grupo de jovens que estão fazendo seu noviciado em Monteagudo (Navarra, Espanha). A chamada pode vir a qualquer momento, quando parece que tudo está indo como achamos que deveria.

Depois de fazer sua comunhão, uma vez mais velho, ele decidiu tornar-se catequista. Ele se dedicou a este trabalho por oito anos, ensinando aos pequenos a fé. Assim, ele mesmo cresceu na fé e no conhecimento da Igreja, através dos Agostinianos Recoletos. Ele ajudou no que pôde na pastoral juvenil e nas celebrações eucarísticas da paróquia. “Eu estava muito feliz, mas muito inquieto, pois parecia que minha sede não tinha sido completamente saciada”. Como Santo Agostinho, Randy não conseguia preencher esse vazio com nada. Seu coração estava inquieto e ele não conseguia encontrar respostas enquanto navegava pelo mar de dúvidas.

As dúvidas sobre o futuro estavam se intensificando. Randy pensou que tinha um futuro claro, mas não era o futuro que Deus queria para ele…. “Algo estava agitando dentro de mim, pedindo mais de mim, mas eu não sabia mais o que dar. Até que um dia ele percebeu isso. Ele estava sentado no ônibus a caminho da Universidade. Como ele fazia todas as manhãs, ele dedicou essa jornada para rezar e pensar. Foi lá, cercado de pessoas olhando para seus celulares ou ouvindo música em seus fones de ouvido, que ele encontrou o que procurava: Deus estava pedindo por sua própria vida.

O próximo passo não foi fácil, mas Randy ousou: ele deixou a universidade, sua namorada e seus planos para o futuro. Guiado pelas Irmãs Oblatas da Providência, ele decidiu entrar na Casa de Formação Santo Ezequiel Moreno em Pozos de Santa Ana (Costa Rica). Era 24 de janeiro de 2016. Ele havia decidido dar sua vida a Cristo e segui-lo como agostiniano recoleto, vivendo sua fé em comunidade e buscando a Deus na interioridade e na pobreza.

2019 foi um ano de discernimento. Ele repensou a decisão que havia tomado após completar os anos de postulado e filosofia, enquanto acompanhava sua família em algumas situações particulares. Finalmente, o caminho seguiu seu curso. Em 2020, ele iria fazer uma breve experiência na Cidade do México, no postulado de El Hueso, quando foi surpreendido, como todo o planeta, pela pandemia da COVID-19. Foi apenas um pequeno inconveniente que não o privou de iniciar na Espanha uma das etapas mais importantes de sua jornada vocacional: o noviciado.

O futuro é incerto. O jovem costarriquenho é grato por tudo o que experimentou, mas sobretudo dá graças a Deus “pelo que falta fazer através de meus formadores e irmãos no caminho”. Por enquanto em Monteagudo ele foi infectado pela COVID-19, embora “eu também tenha sido infectado pelo amor, esperança e caridade na comunidade”. No ônibus começou uma vida que, agora, é normal para o Randy.