“Nadar contra a maré e ser feliz” como um agostiniano recoleto

Sidney Pereira fez sua profissão solene como agostiniano recoleto dizendo um sim decidido a seguir a Cristo.

Acompanhado por religiosos e sua própria família, o brasileiro Sidney Pereira fez a profissão solene no sábado passado, 18 de setembro, em Cachoeiro de Itapemirim (Est. Espírito Santo, Brasil). Os religiosos responderam com um sim decidido ao chamado de Deus para se tornar um agostiniano recoleto. Na Paróquia de Nossa Senhora da Consolação, e seguindo o ritual prescrito, o jovem tornou-se um agostiniano recoleto para toda a vida.

O Prior Provincial da Província de Santo Tomás de Vilanova, Miguel Angel Hernandez Dominguez, presidiu a Eucaristia e recebeu os votos religiosos de Sidney. Como o rito indica, durante a profissão solene houve o interrogatório, a ladainha dos santos, a fórmula da profissão e a bênção solene dos professos. Posteriormente, os agostinianos recoletos abraçaram os religiosos.

Em sua homilia, Miguel Angel Hernandez elogiou a coragem de Sidney para ser um agostiniano recoleto, apesar das circunstâncias da sociedade. “Em um mundo que prega a facilidade de auto-suficiência, sexo e prazeres, em uma sociedade onde ter é mais do que ser, um jovem da cidade de Cachoeiro de Itapemirim, no sul do estado do Espírito Santo, ouvindo o pedido do Papa Francisco, nada contra esta corrente e afirma que é possível ser feliz, ser livre, seguindo os passos de nosso Pai Santo Agostinho e vivendo os conselhos evangélicos de pobreza, castidade e obediência”.

Sidney Pereira nasceu em Cachoeiro de Itapemirim, foi educado em Franca, onde estudou filosofia; Colômbia, onde fez seu noviciado e São Paulo, onde estudou teologia. Atualmente vive e colabora no trabalho pastoral na paróquia de São José de Ribeirão Preto, no interior de São Paulo.