Nario e Alejandro, vidas dadas a Cristo

Os dois agostinianos recoletos, da Colômbia e da Guatemala, fizeram a profissão solene em 29 de janeiro passado na Colômbia.

Após meses de preparação e reflexão, Nairobi Hernán Lara Malagón e Alejandro Juan Vasquez Puac fizeram a profissão solene como agostinianos recoletos em 29 de janeiro passado. Desta forma, em uma celebração realizada na igreja de São Nicolau de Tolentino em Bogotá (Colômbia), os dois religiosos decidiram dar sua vida completamente a Cristo, uma decisão difícil, como lembrou o Prior Provincial da Província de Nossa Senhora da Candelária, Albeiro Arenas.

Nairóbi Hernán Lara, de origem colombiana, e Alejandro Juan Vasquez, nascido na Guatemala, deram seu sim definitivo e perpétuo a Deus acompanhado pela Família Agostiniano-Recoleta: religiosos, monjas, Fraternidade Secular Agostiniano-Recoleta, Mães de Mônica e Juventudes Agostiniano-Recoletas. Agora eles continuarão sua viagem para Bajos de Haina (República Dominicana) e Bocas del Pauto (Casanare, Colômbia).

Como o rito indica, durante a profissão solene houve o interrogatório, a ladainha dos santos, a fórmula da profissão e a bênção solene dos professos. Posteriormente, os agostinianos recoletos abraçaram os religiosos.

Em sua homilia, Albeiro Arenas olhou para o Evangelho da celebração para lembrar que para seguir a Cristo é preciso negar-se, mesmo que esta decisão traga conseqüências difíceis: “Essa é a cruz que o Senhor nos diz para carregar”.

Ele lembrou aos dois jovens professos: “Você concluiu que seguir o Senhor é a coisa mais importante em sua vida, mas isto lhe trará algumas conseqüências”. Neste sentido, ele lhes pediu para não serem “covardes” e pediu que “o Senhor vos ajude e vos dê a graça de não desanimar”.