Hernández Sola, Dom Eusebio (SN)

 em

HERNÁNDEZ SOLA, DOM EUSEBIO (SN)

Nascido dia 29 de julho de 1944 em Cárcar, Navarra, Espanha. Bispo de Tarazona, Zaragoza, Espanha. Ordenado em 19-3-2011. Bispado.
Palácio Episcopal. Pza. Palacio, 1. 50500 Tarazona (Zaragoza)
T: 976 64 08 00 / 64 09 07. F. 976 64 30 26
E-mail: [email protected]
Web: https://www.diocesistarazona.org

Província
São Nicolau de Tolentino

Ano de ordenação episcopal:
2011

Lema
Caritas in veritate

FORMAÇÃO

Ingressou no seminário menor da Ordem dos Agostinianos Recoletos, em Lodosa, Navarra, no dia 12 de setembro de 1955. Em 1958 passou para o colégio de Fuenterrabía, Guipúzcoa, onde completou os cursos de humanidades e os estudos filosóficos.

A seguir (1963-1964) ingressou no noviciado de Monteagudo, Navarra, onde fez a primeira profissão no dia 30 de agosto de 1964, indo posteriormente para Marcilha, Navarra, onde cursou os estudos teológicos (1964- 68). Aqui fez a profissão solene (1967); foi ordenado diácono (1967) e presbítero dia 7 de julho de 1968.

DESTINOS E CARGOS OCUPADOS

Seu primeiro ofício pastoral foi o de assistente na paróquia de Santa Rita de Madri, começando ao mesmo tempo seus estudos de Direito Canônico na Universidade de Comilhas, da Companhia de Jesus, em Madri. A seguir (1969) foi translado à residência universitária Augustinus, que a Ordem mantinha naquela cidade. Foi-lhe confiada a direção espiritual de seus universitários (uns 160), continuou seus estudos de direito canônico, que concluiu com o doutorado (1971) e iniciou os de Direito na Universidade Complutense de Madri (1969-1974). Durante o período 1974-75 fez práticas jurídicas na universidade e nos tribunais de Madri.

No dia 3 de novembro de 1975 iniciou seu trabalho na Congregação para os Institutos de vida consagrada e Sociedades de vida apostólica. Desde 1976 foi o diretor do departamento de formação e animação da vida religiosa, sendo o responsável pela elaboração e publicação dos documentos da Congregação. Além disto, dirigiu uma escola bienal de teologia e direito da vida consagrada, em que formava equipe com alguns dos principais teólogos da área. Desde 1995 foi chefe do escritório do mesmo Dicastério. Por razões de trabalho, os superiores da Congregação lhe confiaram diversas missões em numerosos países do mundo.

Também foi notável sua contribuição na organização das distintas assembléias plenárias da Congregação, assim como nos últimos documentos emanados da Congregação: Caminhar a partir de Cristo (2002) e O serviço da autoridade e a obediência (2008).

DIOCESE

A diocese de Tarazona tem suas origens na Hispania romana, sem que se possa identificar com precisão o início cronológico. Vários de seus pastores assinaram atas dos concílios de Toledo do século V. Dentre os antecessores de D. Hernández deve-se destacar São Prudêncio, São Gaudioso, frei Diego de Yepes, confessor de Santa Teresa, e Dom Isidro Goma y Tomás que, durante a Guerra Civil Espanhola (1936-39), teria sido o arcebispo primaz de Toledo.

O território tradicional da diocese de Tarazona, incluía parte das províncias de Zaragoza, Navarra, Soria e La Rioja. Nela nasceu e morreu, por exemplo, Santo Ezequiel Moreno, já que, tanto seu povoado natal, Alfaro, La Rioja, como o local de sua morte, Monteagudo, Navarra, pertenciam à diocese de Tarazona. E o mesmo deve ser dito do convento das agostinianas recoletas que, até recentemente, existia em Agreda, Soria. Até 1835, havia na diocese de Tarazona dois conventos de agostinianos recoletos: o de Borja e o de Calatayud. Uma vez desamortizados permaneceu o de Monteagudo, do qual veio renascer toda a Recoleção masculina. Boa parte dos agostinianos recoletos do século XIX e princípio do século XX veio de cidades vizinhas de Tarazona e Moncayo. Prova disso é que quatro dos sete mártires recoletos de Motril (1936) nasceram nesta região: os bem-aventurados José Rada, Vicente Pinilla, Vicente Soler e Juliano Moreno.

Os limites da Diocese de Tarazona foram alterados em 1956. Depois foi reduzida a noroeste da província civil de Saragoza. Possui uma área de 4.514 km2 e uma população de aproximadamente 80.000 habitantes. Pertence à província eclesiástica de Aragão, com Zaragoza, Huesca, Teruel e Barbastro e Albarracín.

Pastoralmente, se distribui em 140 paróquias, com um contingente variável de fiéis. É grande o número de povoados com menos de 300 habitantes. Para atendê-los conta com 80 sacerdotes ativos e 17 com idade avançada. Outros 23 residem fora da diocese. Há ainda 18 comunidades de religiosas e 6 mosteiros de clausura. Os seminaristas maiores são 8 e uns 380 os catequistas.