Molina Palma, Dom Mario Alberto (CN)

 em

MOLINA PALMA, DOM MARIO ALBERTO (CN)

Nasceu em 13-10-1948, no Panamá, Panamá. Arcebispo metropolitano de Los Altos, Quetzaltenando-Totonicapán. Nomeado o 14-7-2011.
4ª calle 3-12, Zona 5. Apartado 31.
Santa Cruz del Quiché. Quiché. Guatemala.

Email: [email protected]

 

Provincia
Nossa Senhora da Consolação

Ano de ordenação episcopal
2005

Lema
Ut Ecclesia aedificationem accipiat

FORMAÇÃO

Mario Alberto Molina Palma nasceu no Panamá, em 13 de outubro de 1948. Cursou estudos primários e secundários no Colégio Santo Agostinho da Cidade do Panamá.

Ao concluir o bacharelado, pediu para ingressar na Ordem dos Agostinianos Recoletos, na Província de Nossa Senhora da Consolação, mas fez seu noviciado na casa de formação daquela época, na Província de Santo Agostinho, em Kansas City, Kansas. Fez sua primeira profissão em 27 de agosto de 1968. Ali, continuou a formação durante a etapa dos votos simples até a profissão solene, em 1971. Em 1972, iniciou a formação na etapa de teologado, no Seminário Santo Tomás de Vila Nova, de Torrente, Valencia. Recebeu o diaconato em Pamplona, e a ordenação presbiteral, em 29 de junho de 1975, no Panamá.

Realizou os estudos da etapa filosófica, em Rockhurst Collage, onde obteve o título de Bacharel em Artes, em 1972. Na Faculdade São Vicente Ferrer de Valencia, obteve o Bacharelado em Teologia, em 1975. Nesse ano, após a ordenação presbiteral, continuou seus estudos de especialização em Sagradas Escrituras, no Pontifício Instituto Bíblico de Roma, onde obteve a Licenciatura em Sagradas Escrituras, em 1978. Após alguns anos como participante da equipe de formação, em Torrente, retornou a Roma, onde obteve o título de Doutor em Sagradas Escrituras pelo Pontifício Instituto Bíblico, em 1985

DESTINOS E CARGOS OCUPADOS

Após concluir esses estudos, os superiores o transferiram para Guatemala, onde começou a trabalhar, principalmente em docência bíblica e teológica, no Seminário Maior Nacional de Assunção, na Faculdade de Teologia da Universidade Rafael Landívar, no Instituto Teológico Salesiano, entre 1986 e 1991. Neste ano, começou seu serviço como Prior do Seminário Santo Agostinho da Guatemala e como Delegado Provincial, na Guatemala.

Em 1994, recebeu autorização de seus superiores para assumir o cargo de Decano da Faculdade de Teologia, da Universidade Rafel Landívar, por 6 anos, até o inicio de 2000. Em 1998, assumiu também como Secretário Adjunto da Conferência Episcopal da Guatemala — trabalho que desempenhou até o ano de 2002. Ao concluir este serviço, foi designado Pároco da Paróquia de Santa Maria Goreth, na cidade da Guatemala.Em 29 de outubro de 2004, enquanto participava como Delegado do Capítulo Geral da Ordem foi nomeado Bispo de Quiche, na Guatemala, por S.S. João Paulo II. Recebeu a Ordenação em Santa Cruz de Quiché, em 22 de janeiro de 2005.

Dia 14 de julho de 2011 o Papa Bento XVI tornava público a nomeação de Dom Mario Alberto Molina Palma, agostiniano recoleto, como arcebispo metropolitano de Los Altos, Quetzaltenando-Totonicapán, em Guatemala. Até o presente momento o religioso era bispo de Quiché, diocese que faz parte da arquidiocese que agora passa a reger.

DIOCESE

Desde 1996, a arquidiocese de Los Altos é a circunscrição eclesiástica que abarca os departamentos civis de Quetzaltenango e Totonicapán. Tem uma extensão de 4.890 km2, e uma população de 1.300.000 habitantes. Atualmente a arquidiocese de Los Altos está composta de 32 paróquias, e conta com 28 sacerdotes diocesanos e 30 religiosos. Trabalham nela 40 religiosas, 8 religiosos não sacerdotes e 10 leigos consagrados. Tem 17 seminaristas maiores.

A presença dos agostinianos recoletos nesta região se remonta ao ano 1958, quando se encarregaram das paróquias de São Miguel Arcanjo (Totonicapán) e Nossa Senhora da Solidão do Calvário (Quetzaltenango). Esta última foi devolvida à diocese em 1970.

A paróquia de Totonicapán tem um censo de mais de 100.000 habitantes, compreendendo todo o território municipal da cidade. Sua população, majoritariamente indígena, se reparte entre a cabeceira (12.000 habitantes) e 52 bairros ou povoados. Em 1998, sua igreja paroquial, que se remonta a 1545, foi declarada co-catedral da arquidiocese.

Em 1998, os agostinianos recoletos assumiram também a paróquia Sagrada Família, em Quetzaltenango. Paróquia criada em 1976, com um censo de cerca de 30.000 habitantes, distribuídos na cabeceira e cinco bairros.