Acompanhamento e sustentabilidade, desafios para a Ordem

O Prior Geral, o Conselho Geral e os Priores Provinciais partilharam em sua reunião anual sua visão sobre o trabalho comum dos Agostinianos Recoletos.

O trabalho da Ordem dos Agostinianos Recoletos tem duas prioridades em vista do Capítulo Geral de 2022: a sustentabilidade dos projetos e o acompanhamento do povo. Esta é uma das conclusões do Prior Geral, do Conselho Geral e dos quatro Priores Provinciais que realizaram sua reunião anual de 26-30 de outubro para avaliar a vida e a missão da Ordem no mundo inteiro. No encontro, nesta ocasião virtual por razões de saúde, foram estabelecidas as diretrizes que a Cúria Geral e as províncias seguirão para continuar vivendo intensamente a vocação agostiniano-recoleta e oferecendo um sólido serviço à Igreja e à sociedade.

A primeira prioridade é a necessidade de encontrar a sustentabilidade dos projetos. Especificamente, os presentes concordaram sobre a importância de consolidar o trabalho que foi feito – e que começou nos últimos anos -, trabalhando como uma equipe para fortalecer o que foi feito e assegurar sua continuidade. Isto se refere a projetos como ARCORES, EDUCAR, RedCEAR ou a Escola de Instrutores, entre outros. O trabalho, que é valorizado positivamente, deve ser consolidado ao longo do tempo.

Da mesma forma, a reunião estabeleceu como prioridade o acompanhamento de todas as pessoas – religiosas e leigas -. Na situação social atual, o objetivo não é abandonar ninguém, especialmente os religiosos. Todos, independentemente de sua idade ou situação, devem ser atendidos em seus próprios contextos: religiosos jovens em formação, religiosos mais velhos e doentes, assim como religiosos em outras etapas. Especificamente, o Prior Geral apelou pela unidade e diversidade na vida e na missão.

Outra questão discutida é a revisão dos órgãos da Ordem. A este respeito, foi sugerido que as estruturas de gestão fossem simplificadas e que a comunhão na Ordem fosse promovida. Este ponto, pensado para o próximo Capítulo Geral, é fruto de uma reflexão: há muitas duplicações de organismos gerais e provinciais que, em muitos casos, trabalham independentemente. O Conselho Geral e os Priores Provinciais nos convidam a simplificar e a unir forças em comum.

O Prior Geral também destacou em seu novo documento, “Viver a Pobreza: Graça e Desafio”, e nos convidou a pensar sobre como tornar o documento uma realidade; isto é, como viver a pobreza e como responder às pobrezas de hoje – interna e externamente. Esta experiência traria credibilidade ao próprio carisma, dando-lhe assim mais vida. A reunião também abordou questões relacionadas ao trabalho compartilhado com os leigos, a comunicação, o espírito missionário ou a formação de religiosos, entre outras coisas.