Jesus nasce com as monjas agostinianas recoletas

O presépio exibido no Convento da Encarnação em Madri reproduz a cena do nascimento de Jesus junto com a reprodução, em pequena escala, do edifício histórico.

No Natal, Deus nasce em cada esquina. Pequenas representações do mistério do nascimento de Deus podem ser encontradas em lojas, paróquias ou casas. No caso do presépio exposto no Mosteiro da Encarnação, das Agostinianas Recoletas em Madri, ele é real. O belo conjunto de pequenas figuras reproduz a vinda ao mundo do Filho de Deus junto com a reprodução, em pequena escala, do edifício histórico de 1616 ao lado do qual o presépio está representado. A bela obra faz parte da história e da arte que reúne dentro de suas paredes o convento fundado pela venerável Madre Mariana de San José.

O presépio – de grande valor artístico – mostra vários cenários diários enquadrados nos arredores do edifício. A fachada da igreja e do mosteiro é reproduzida, assim como os edifícios anexos. Tudo isso constitui uma imagem realista e próxima que conduz à cena mais importante: o nascimento de Jesus.  O portal do presépio está localizado à esquerda do edifício. Em um edifício em ruínas está o mistério da Natividade, feito pelo presbítero José Luis Mayo. A imagem mostra Maria ao lado da Criança, envolta em faixas, e São José sentado ao longe.

O conjunto também representa o anúncio do anjo aos pastores, que ocorre no átrio da Igreja da Encarnação. Os Magos do Oriente também entram em cena, avançando entre as pessoas que realizam ações diárias, como mostram as pequenas figuras. Tudo isso contribui para recriar uma praça em um cenário habitado por pastores, carregadores de água e lavadeiras feitas em oficinas dos séculos XIX e XX. O Patrimonio Nacional, responsável pela conservação do mosteiro que tem o título de Real, manterá o presépio até 10 de janeiro.

O belo cenário traz mais riqueza artística ao edifício histórico das Irmãs Agostinianas Recoletas. Os restos da Venerável Madre Mariana de São José, principal promotora da reforma que o Capítulo de Castela iniciou em 1588 com a fundação dos Agostinianos Recoletos, repousam nele. O convento foi fundado em 1616. A rainha Margarida da Áustria promoveu sua criação e solicitou que Madre Mariana, que estava fundando conventos de monjas agostinianas recoletas em outros lugares, fosse a primeira priora do mosteiro.

Séculos depois, as monjas agostinianas recoletas continuam a viver a Recoleção de 1588 no mosteiro. Durante estes meses, sua igreja receberá a visita de milhares de pessoas que contemplarão a beleza do edifício e a pequena representação do mistério da Natividade ao lado do convento.